segunda-feira, 28 de julho de 2008

driblando a lei seca

A maioria do pessoal vem respeitando a Lei Seca, ou ao menos bebendo menos.

Já outros, que não querem a sobriedade, vão tentando driblar a lei de diferentes maneiras.

A saída do taxi já é manjada, mas dependendo do CEP da pessoa, a brincadeira fica cara.

O problema, na verdade, ocorre quando não se vai programado para beber (ou pelo menos para não beber tanto).

Terei logo mais um casamento e não pretendo gastar mais de R$ 100,00 (cem reais) com taxi e tampouco ficar seco. Vou aproveitar para estrar o Motorista Amigo, serviço oferecido pela minha seguradora, onde eles enviam um motorista para me levar para casa.

É um serviço opcional, oferecido bem antes da Lei Seca, limitado a 4 vezes por ano. E aí é que está o problema, porque com exceção dos anti-sociais, esse número é pequeno.

Desde o início da Lei Seca, o uso do serviço aumentou em 10 vezes, segundo a SulAmérica, a única seguradora que oferece o serviço. Mas já há um estudo para aumentar quantidade.

Outra opção, já não tão lícita, é solicitar o guinho alegando problemas no veículo. O carro é rebocado até a casa do bebum e o motorista segue na boléia. Normalmente todas as seguradoras oferecem esse serviço (e até mesmo alguns bancos e cartões de crédito), sendo que muitas deles de forma ilimitada.

Como não é algo às claras, se usar muito pode levantar a lebre e ter problemas. Ao menos se for a Porto Seguro, que já liberou essa artimanha e ainda dá um lanchinho para matar aquela larica pós-balada. Ao menos foi o que disse Marcelo Sebastião, diretor de produtos, na edição de hoje do Valor Econômico.

Agora, os que bebem e continuam guiando, para fugir das blitz, seguem por caminhos alternativos, usando ruas secundárias, pequenas, em bairros residenciais.

O problema é se o motorista morar longe da balada. Porque ir da Lapa, Barra Funda para Higienópolis, Jardins, Pinheiros é tranqüilo. Já se o destino for Brooklin, Tatuapé, Morumbi ou Santana, a coisa já complica.

Como falei, logo mais vou estrar o Motorista Amigo, e então digo o que achei do serviço (e também da qualidade do atendimento).

10 comentários:

Celso Dossi disse...

Faça que nem eu: quinta bebí e peguei carona pra voltar pra casa.
Com um tal de Ludo, conhece?

Tony Goes disse...

Com a queda do número de acidentes e mortes por causa da Lei Seca, fica difícil ficar contra.

Hoje li no "Globo" uma coisa engraçadinha: quem vai reclamar contra a nova lei agora são as funerárias e os fabricantes de cadeiras de rodas...

Marcos Freitas disse...

Hum, acho que a seguradora está faturando horrores, na questão o guincho, pode até ser ilimitado, mas de quebra o segurado pode perder todos os bonus com isso, é uma questão de pensar, o ideial é a solidariedade, um amigo tem que ficar sem beber em nome da amizade, nada mais justo.

Quando eu sai eu mandei o Douglas (meu namorado) levar o carro até a marginal, um ponto q eu sabia q não tinha fiscalização, e de lá fui, ela não gosta de dirigir, foi até lá meio a contra gosto, mas que todos estão preocupados, estão...

Estefanio disse...

Da pra escolher o 'motorista amigo' num catálogo com foto e informações?

Serginho Tavares disse...

como não dirijo eu tenho que ficar na cola dos amigos bebuns para eles não beberem hahaha

Alexandre Lucas disse...

Faço minhas as palavras do Tony. E pra quem mora longe demais pode ficar mais barato dormir na casa de um amigo ou mesmo num "Formule 1" da vida...

Too-Tsie disse...

Ludo, você é um fofo mesmo, obrigado pelo apoio nessa hora tão foda.

Taí uma boa dica para alguém que queira investir nesse segmento, montar um serviço de internet (na onda do 3G e celulares pra lá de modernos), que possam fazer um match de motoristas sóbrios com bairros destino. E claro, regra de etiqueta para os breacos. Nada de assediar o motorista, ser bêbado chato, vomitar no carro do carona, coisas assim.

Klero disse...

acho que a lei vai causar uma mudança das baladas para regiões com acesso mais fácil... uma forma de garantir público..

até lá, vale a sua solução (e casamento pede álcool!)

RICARDO AGUIEIRAS disse...

E se eu chupar dez balas de hortelã e tomar dois copos de leite grandes e duas fatias de cebola? Será que assim engano o bafômetro??? kkkkkkkk... talvez não! Mas com certeza vou ter um grande revertério estomacal...kkkkk
Felicidades,
Ricardo
aguieiras2002@yahoo.com.br

Leo Lazzini disse...

ow eu tenho uma leve tendencia a nao respeitar... mas num eh de birra nao, eh que eu nem percebo

bebe inconscientemente

o que deve ser um problema neh