sábado, 29 de março de 2008

selecionando para pequim

Pelo visto hoje vai todo mundo para a Megga e amanhã todos os blogs estarão postando suas opiniões, elogiando ou metendo o pau na casa.

Mas a dica é não se acabar e aproveitar a 1ª Seletiva Olímpica de Saltos na Hípica Paulista.

As provas começaram na quinta-feira, quando rolou a primeira qualificação e no domingo será a final, às 14:30.

Para quem não conhece a hípica é uma boa oportunidade de ver uma competição de alto nível de perto e sem muitos concorrentes, o que torna a prova rápida e menos cansativa para quem não conhece as regras.

Com a ajuda de São Pedro, uma tarde na hípica é uma delícia. Não se parece que está incrustado no meio de São Paulo, há poucas quadras da Berrini, Bandeirantes e Santo Amaro, com seus trânsitos caóticos.

Fora o alto nível de pessoas bonitas, cheirosas e bem vestidas.

Claro que não chegará aos pés da Seletiva de Arezzo, onde participam os brasileiros estabelecidos na Europa. Lá a coisa é muito mais forte e com cavaleiros de primeira linha no ranking mundial. Além de ter todo o charme da Toscana.



Na Itália, só perde em luxo e glamour para o Grande Prêmio de Modena, que acontece no primeiro final de semana de maio, desta vez, sem a presença do seu grande idealizador, Luciano Pavarotti (foi durante um desses concursos que ele gravou o primeiro Pavarotti & Frineds).

Voltando a Arezzo. Por lá quem ganhou a primeira qualificativa para o Grande Prêmio foi o Doda, montando AD Chatwin, deixando para trás o Filipinho e o Bernardinho. Agora vamos ver como as coisas ficarão no domingo, quando a altura da prova será de 1,60.

A Hípica Paulista fica na Rua Quintana, n º 206 no Brooklin. A entrada é franca e costuma ter estacionamento no local para não sócios.

3 comentários:

lorenzo. disse...

eu curto um pouco hipismo, mas aqui no meu estado é bem mais forte a cena do POLO, que eu prefiro...
E que também ajuda na vida social da galera, se é que tu me entende haha

mas ein, não entendi, o beijo com gosto de sangue é muito freak? ou não?

abraço

Clebs disse...

O chapéu reina nesses eventos né!? Acho um charme as tias com os chapéus enooooormes.

Segurando, claro, se não o vento leva.

Too-Tsie disse...

Eu moro assim, PERTÍSSIMO da hípica paulista, no que eu apelido carinhosamente de quadrilátero do caos: Santo Amaro, Aguas Espraiadas (mané roberto marinho), Berrini e Bandeirantes.

Só fui em 2 eventos na hípica: um show delicioso quase intimista com os The-B52's e um evento da Audi.

E realmente, nesses lugares, a gente vê a nata, apesar de um ou outro wannabe infiltrado.

Hoje em dia eu já não sei com essa popularização do golf, mas aquele Golf Clube em Santo Amaro, era uma coisa chique de dar com o pau. Só se conhecia gente influente, claro que eu só ia de convidado lá, e golf também não é meu forte.