terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

nada como ser sócio de justus

Para quem pensava que apenas blogueiros são processados, estão enganados.

O vencedor do último programa "O Aprendiz", Clodoaldo Araújo, está sendo processado junto com o Roberto Luiz Justus e Alvaro dos Santos Pacheco Jr. pelo Milton Neves e sua empresa na 6ª Vara Cível de São Paulo.

Cata aí maiores explicações dadas pelo Lauro Diniz:
TELEVISÃO
Vencedor de "O Aprendiz" é processado com Justus

Surgiu um nome surpreendente no processo de reparação de danos que Milton Neves entrou na sexta-feira na Justiça paulista contra Roberto Justus.

Só para relembrar, o motivo da ação remonta à contratação de Neves por Justus para apresentar um programa que seria produzido pelo publicitário. O programa foi cancelado dias antes da estreia. Neves alega que deixou a Record por causa do convite e ficou a ver navios. A causa pode chegar a 70 milhões de reais de indenização, segundo Neves.

E qual é a surpresa? Milton Neves, na verdade, está processando também um sócio de Justus - um certo Clodoaldo Araújo. Pelo nome ninguém se lembra quem é, mas trata-se do vencedor da quinta edição de O Aprendiz, que Justus apresenta.

Em julho, Clodoaldo ganhou 2 milhões de reais e o direito de virar sócio de Justus em uma de suas empresas.

Parecia uma bela parceria. Mas Justus escolheu justamente a Brainers, que contratou Neves e está sendo processada.

No dia 3 de outubro de 2008, Clodoaldo virou dono de 49% da Brainers (o restante era de Justus). Vinte dias depois, a empresa encerrou suas atividades.

Ou seja, Clodoaldo virou sócio de Justus por três semanas. Pouco tempo, mas o suficiente para virar réu no processo de Milton Neves. Um processo que pode chegar a 70 milhões de reais.

Usando meu parco conhecimento jurídico e me baseando unicamente no que está na mídia e no site de Tribunal de Justiça, a coisa me parece estranha.

Primeiro, o valor da causa é de 1 milhão e não de 70 milhões. Ou o Milton Neves quis diminuir o seu gasto com custas ou então está com medo de perder e pagar uma bela sucumbência.

Segundo, se o quiprocó foi com a Brainers, ela é que deveria constar no pólo passivo. Isso porque apesar de se falar em encerramento das atividades, é preciso saber se houve o encerramento formal da empresa, pois, se ela estiver ativa, não me parece, por ora, caso de desconsideração da personalidade jurídica.

Mas quer saber. Eu acho que o Milton Neves só colocou o Clodoaldo no pólo passivo da ação para chamar a atenção e de certa forma, atingir a imagem do Justus, afinal, de que adianta ser sócio se toma um processo grande nas costas.

Claro, isso ajudará a se fechar um acordo caso o programa volte ao ar. Agora se ele não voltar, provavelmente o Justus não vai nem ligar para o coitado do Clodoaldo.

4 comentários:

DON PAVINATTO disse...

É... NÃO SEMOS OS ÚNCO!

Arsênico disse...

Nesse mato tem coelho meu béim... prefiro nem comentar!

umBeijoeAbafa!

***

SAM disse...

Quiprocó do cacete!

Isso me cheira a: Maracutaia!


:D

Welcome to Brazil!

Celso Dossi disse...

Se eu for processado, já sei a quem recorrer. :D