domingo, 1 de junho de 2008

program de paulista

Com o frio batendo forte, não resisti paguei minha língua. Fui fazer o programa típico de paulistano e me joguei no Shopping Cidade Jardim no final da tarde para conhecer.

Ele estava bem mais cheio do que o projetado, com filas no banheiros, nos cafés e até mesmo no caixa de algumas lojas (aguardei 10 minutos na Daslu. Ontem a fila era de quase meia hora).

Mas tirando esses pequenos gargalos, o espaço suportou muito bem a superlotação. Ontem o pessoal chegou a sofrer para chegar e para o carro. Eu não levei 15 minutos entre pegar o rabo da bicha e parar o meu carro. Não sei se será sempre assim, mas haviam vários funcionários orientando o trânsito e também indicando vagas.

O shopping em si é bem bonito por dentro, não parece que se está no caixote neoclássico visto do lado de fora. O jardim e o pé direito alto dão uma impressão boa. Também fica bem realista por ser aberto ao tempo, ou seja, se fizer frio ou calor, será essa a temperatura do lado de fora das lojas.

Algumas lojas tops como Hermès, Chanel, Armani, Mont Blanc e as ancoras Empório Fasano e Livraria da Vila/Casa do Saber ainda estão com tapumes na frente aguardando a inauguração.

As lojas mais caras ficam no primeiro andar. Já no segundo o luxo não domina tanto assim, afinal, Zara, Centauro, Track & Field não são nada excepcionais.

Quanto ao público, só gente bonita e bem vestida. Alguns conhecidos da praia e da hípica, além de phynas em abundância. Também vi três the weekers (que quase não reconheci, pois, estavam vestidos) e uma puta andando com o seu cliente. Este por sua vez imaginava que estava abafando, quando na verdade o povo não estava com inveja e sim com vergonha alheia em modo máximo. Enfim, acontece sempre nas melhores famílias.

Logo mais vão sair matérias acusando o Auriemo de ser segregacionista, afinal, só se chega lá de carro. A entrada pela marginal, onde existe um ponto de ônibus, é a mesma por onde entram os funcionários, ou seja, glamour zero. Mas ele está certo, afinal, o público alvo dele tem um SUV em casa. Por isso mesmo as vagas são mais largas que nos outros shoppings da cidade, lá elas medem 2,70m de largura.

Como moro do outro lado da cidade, pode ser que eu freqüente lá apenas pelo Cinemark, porque será o multiplex mais perto de casa e provavelmente não será lotado. Fora isso, não tem porque ir até o shopping, salvo se for comprar nas lojas exclusivas, como da futura Hermès.

Muitos lojistas não apostaram no Cidade Jardim, tanto que alguns casos, nenhum franqueado topou pegar a loja e a própria marca teve de bancar a empreitada, apenas para manter um lugar marcado, considerando como um investimento em marketing.

Isso porque no Iguatemi e na Daslu, por as lojas serem maiores, há muito mais produtos disponíveis. Acho que só a Louis Vuitton de lá é maior que a do Iguatemi.

Também tem a questão da localização, afinal, para quem mora no outro lado do rio, as opções dos Jardins, Iguatemi e Daslu são bem mais próximas de suas casa.

No próximo mês será possível avaliar melhor, quando a euforia abaixar, se a coisa vai engrenar de vez ou se terão de aguardar a entrega das torres residenciais e empresariais.

Uma dica para quem não é habitué do morumbi. Na hora de voltar pra casa, volte pelas marginais, porque se arriscar a cortar caminho para pegar o túnel para a JK ou a ponte Cidade Jardim, é certeza que irá se perder.

Vale conhecer e fazer umas comprinhas, se imaginado estar em pleno Bal Harbour de Miami, como dizem as deslumbradas.

12 comentários:

Goiano disse...

ok
vamos esclarecer
eu CASO por um par de botas Hermes

kkkkkkkk

cara qdo eu for vc tem q me levar p programas bacanudos

bjos

Clebs disse...

ADORO essa solidariedade paulista de ajudar o próximo a não se perder dentro da própria cidade!! hehehehe.

Esse Cidade Jardim está dentro do City Tour ou tem que pagar mais??

Chego na sexta de noite, vamos ver Sex and The City? Juntar todos os blogs e fazer um mutirão para ir de lotação ao cinema!! hehehe

Abração!

Alexandre Lucas disse...

Clebs: Cidade Jardim TEM que pagar a mais. É extra. Igual quando a gente resolve, no Rio, conhecer o Corcovado. =)
Ludo: alguém andou fazendo banheirão neste domingo frio....
KKKKKK

Mans disse...

gente q shopping é esse?
o mais desinformado eu né????

Leo Lazzini disse...

hehehe MUITO bacana esse post, analise perspicaz da mulher e do cliente dela, muito parecido com o que minha terapeuta diria hehe

tirando que eh o unico shopping de sp que o brasil todo ja ouviu falar neh...

eh, tirando o mans ;) hehe

Antonio disse...

Mais um shopping!!?! E ainda cheio de pretensão!?!? :(
(Gostei do blog, isso sim..rs)

Celso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Celso disse...

Fui lá numa festa antes da inauguração, não deu pra ver muita coisa, mas é longe pra carai, né?

Ah... e se parecer o Bal Harbour, tbém vai ser chato pra carai ;)

Too-Tsie disse...

Ai nem é tão longe heeeein, já basta meus amigos que moram no centro falarem que minha casa é contramão pra tudo.

Passou pela ponte? Eu to esperando a poeira baixar, domingo eu fui no Villa Lobos e tava um mega congestionamento no estacionamento, ainda bem que dei sorte.

Ultimamente, para frequentar shoppings de findi, cogito seriamente em pagar valet, acho tão feio a disputa por vagas....

introspective disse...

Ludo, adorei o post. Deu uma ótima idéia do que o shopping é (e confirmou a minha intuição de que só dá para conhecer daqui a umas 3 semanas, quando a euforia inicial tiver passado e as lojas inacabadas tiverem sido inauguradas). Adorei tb os comentários sobre os freqüentadores (só não entendi uma coisa: quem seriam os "logistas"?)

Beijão

ludo disse...

ooops
valeu thi ;-)

Gui disse...

Eu so vou se a SJP tb for. Senao dou um pulinho aqui no Downtown mesmo, gravo umas cenas e digo que estou em SP!